quarta-feira, 18 de junho de 2014

PROJETO DE LEI PARA INCORPORAR A GRATIFICAÇÃO DOS R$ 350




PROJETO DE LEI Nº 3056/2014

    EMENTA:
    MAJORA OS SOLDOS DO QUADRO PERMANENTE DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DO QUADRO PERMANENTE DO CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DETERMINA A ABSORÇÃO DAS GRATIFICAÇÕES QUE MENCIONA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

    Autor(es): PODER EXECUTIVO


    A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

    RESOLVE:
      Art. 1º - Ficam majorados, a partir do mês de Janeiro de 2015, de acordo com as tabelas constantes do Anexo Único, os soldos dos militares integrantes do Quadro Permanente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro – PMERJ, Lei nº 443, de 01 de julho de 1981 e dos servidores públicos integrantes do Quadro Permanente do Corpo de Bombeiro Militar do Estado do Rio de Janeiro – CBMERJ, Lei nº 880 de 25 de julho de 1985. 

      Art. 2º - A partir da majoração a que se refere o artigo 1º, ficam absorvidas e extintas:
      I - A Gratificação Temporária por Participação no POEPP (Programa de Capacitação em Operações Policiais Militares de Ocupação Estratégica Temporária e Polícia de Proximidade) concedida aos policiais militares integrantes do Quadro Permanente da PMERJ, criada pelo Decreto 42.047, de 24 de setembro de 2009.
      II - A gratificação por Participação em Programa de Capacitação concedida aos Bombeiros Militares integrantes do Quadro Permanente do CBMERJ, pelo Decreto 43.141, de 16 de agosto de 2011.
      § 1º - A absorção e extinção a que se refere o caput deste artigo abrangem também as gratificações cujo pagamento tenha sido determinado por decisões judiciais, que serão absorvidas pela majoração do soldo.
      § 2º - O valor remanescente correspondente à extinção e incorporação de que trata o inciso I do deste artigo será pago sob a forma de Resíduo – Gratificação Temporária por Participação no POEPP até que seja completamente absorvido por majorações do soldo.
      §3º O valor remanescente correspondente à extinção e incorporação de que trata o inciso II do deste artigo será pago sob a forma de Resíduo – Participação de Capacitação até que seja completamente absorvido por majorações do soldo.

      Art. 3º- Estende-se o disposto na presente Lei, observado o disposto no art. 40, e respectivos parágrafos, da Constituição da República, bem como nas Emendas Constitucionais n° 41, de 19 de dezembro de 2003, e n° 47, de 05 de julho de 2005:
      I - aos servidores públicos inativos integrantes das categorias funcionais referidas por esta Lei; e
      II - aos pensionistas de servidores públicos integrantes das categorias funcionais referidas por esta Lei.

      Art. 4º - As despesas resultantes da aplicação desta Lei serão atendidas por dotações próprias consignadas no orçamento do Estado do Rio de Janeiro.

      Art. 5º- Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação.

      CONTINUAÇÃO: LINK DA ALERJ

domingo, 15 de junho de 2014

NEM TUDO SÃO FLORES NA COPA, OLHA O ALMOÇO DOS POLICIAIS

video
video enviado de PM de outro Estado

Policiais militares de diversos municípios do estado do Rio de Janeiro, convocados para atuar na orla da zona sul da capital durante a Copa do Mundo, denunciam péssimas condições de trabalho e instalações do CFAP (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças), em Sulacap, na zona oeste do Rio. Segundo os PMs, a unidade foi reservada para hospedá-los durante a estada deles na cidade, já que a maioria mora no interior, região metropolitana e Baixada Fluminense.
De acordo com a denúncia ao R7, foram convocados para o batalhão de campanha os policiais em férias no mês de junho. O trabalho não seria opcional. Segundo eles, uma “bolsa-copa” no valor de R$ 3.200 mil foi prometida, o que não teria sido cumprido. Os policiais precisaram custear os gastos no deslocamento ao Rio. Alguns PMs moram em regiões afastadas, cujos valores do transporte são mais caros. Eles temem que o dinheiro gasto não seja ressarcido.
Já no primeiro dia de trabalho, os policiais encontraram o CFAP com instalações precárias para hospedá-los. Segundo os PMs, não há colchões nas camas dos dormitórios e o local não tem as mínimas condições necessárias de higiene. Falta água frequentemente na unidade, segundo os policiais. As descargas dos vasos sanitários não estariam funcionando, o que deixa o local com um cheiro “insuportável”.
Outra reclamação dos militares é em relação à alimentação, que, além de ser à base de arroz, farofa e batata-palha, seria em horários irregulares. O almoço de quinta-feira (12) teria sido servido às 16h.   
Os policiais reclamam ainda que não foi cumprida a carga horária preestabelecida, que seria de 12 horas de trabalho por 60 de descanso. Os PMs teriam chegado somente à 1h da madrugada no CFAP, mesmo tendo de acordar no início da manhã desta sexta-feira (13) para mais um dia de trabalho. Não havia água na unidade, o que impossilitou o banho dos militares. O café da manhã nesta quinta-feira (13) também não teria sido fornecido.
Outra questão apontada pelos policiais se refere ao período de férias, que é de 30 dias, porém o tempo que eles teriam de ficar na capital fluminense seria de 60 dias. Segundo eles, isso pode desfalcar seus batalhões de origem. 
Procurada pelo R7, a Polícia Militar enviou a seguinte nota oficial:
"O Comando Especial de Policiamento para a Copa (CEPCopa) não recebeu nenhuma reclamação de problemas estruturais nos alojamentos. A Polícia Militar colocou quatro micro-ônibus para transportar o efetivo que vem de Campos e Macaé.
O Coronel Ezequiel Oliveira de Mendonça, comandante da Unidade, informou que os alojamentos têm ar-condicionado e há beliches e armários novos em quantidade suficiente para os policiais que trabalham no Batalhão de Campanha e desejam permanecer na cidade após o cumprimento do serviço. O Batalhão de Campanha é uma unidade que foi constituída apenas para o serviço durante a Copa do Mundo.
O comandante da Unidade, tenente-coronel Heitor Henrique Pereira, informou que os policiais têm alojamentos com armários e beliches e colchões em quantidade suficiente para atender às escalas de serviço. Há água potável em um bebedouro próximo à entrada do alojamento.
A Polícia Militar concede aos policiais do Batalhão Especial de Grandes Eventos uma gratificação de R$800,00 (oitocentos reais)."

FONTE: R7

segunda-feira, 9 de junho de 2014

REDES SOCIAIS QUE PODEM AJUDAR E ATRAPALHAR A VIDA DO POLICIAL




Nos dias de hoje qualquer smartphone tem acesso as redes sociais, tais como Facebook e Whatsapp, e isso tem seu lado bom e ruim.
Como os casos recentes, tanto no alojamento do 20º BPM como o da ocorrência na Rocinha, teve seu lado ruim à prova.
O uso do celular do policial em serviço, é controlado, o mesmo tem que informar o número, para que possa usá-lo em serviço.
Vamos pensar com a cabeça, e não com a emoção, comemorar a morte de um traficante é bom entre os policiais, ou vocês pensam que eles NÃO fazem o mesmo. quando matam policiais?

ALGUNS CUIDADOS QUE TEMOS QUE TER:

1. Cuidado com o que publica a seu próprio respeito

Algumas pessoas se expõem demais nas redes sociais, postando fotos de sua casa, seus pertences, viagens. E pior, muitas até avisam quando estarão viajando dando todas as dicas para que pessoas mal-intencionadas possam agir.

2. Não acredite em tudo o que vê

Há muitos casos de pessoas que se apresentam com perfil falso só para serem aceitas e, ao começarem uma amizade, envolvem a pessoa em alguma armadilha. Principalmente quando a vitima é criança ou adolescente.

3. Não clique em todos os links sugeridos

Cuidado ao sair clicando em links sugeridos até mesmo por amigos, pois como falamos no item anterior, pessoas criam perfis falsos e se aproveitam para mandar vírus que podem danificar seus arquivos e computador, ou até mesmo roubar senhas e se apoderarem de seu perfil, ou contas bancárias.

4. Fotos de família com dados

Todos querem postar suas fotos e de familiares, mas fotos com muitas informações, como nome, local, datas, eventos, local de trabalho etc, é expor demais a segurança da família, pois qualquer um pode além de usar os dados, copiar as fotos e usá-las indevidamente.

5. Informações financeiras e compra de bens

Isso nunca deve ser exposto, pois é uma porta aberta e com convite de entrada para os mal-intencionados. Comentários inocentes como dizer que foi ao banco tal e pegou a maior fila, já é uma informação de onde você tem conta. Postar foto do carro novo na garagem, da nova televisão de 40 polegadas que acabou de comprar, é outro chamariz.

6. Planejar uma festa ou recepção em seu perfil

As redes sociais são excelentes meios para fazer um convite em massa para amigos e familiares daquela festa que pretende dar em sua casa ou em outro local que tenha que expor endereço e horário. Há aplicativos que permitem que você promova eventos privados, onde somente pessoas que forem convidadas poderão ver e participar. Não deixe de se informar dos aplicativos de proteção que as redes oferecem.

7. Fofoca e difamação

Às vezes, dá vontade de falar pra todo mundo o que pensa de pessoas que fizeram algo que você não aceitou ou se sentiu ofendido, mas este é um grande perigo que se corre. Pois a pessoa pode inverter a situação até mesmo usando a postagem como prova de injuria de difamação.
Estes são alguns cuidados que se deve ter ao navegar pelas redes sociais e internet. Uma maneira simples para ponderar se você está exagerando na exposição de sua vida e família nas postagens é pensar da seguinte maneira:
  • Ao comprar algum novo bem para sua casa ou família, abriria as portas da sua casa e ficaria convidando a todos que passassem para entrar e ver o que acabou de comprar?
  • Colocaria fotos de sua família em eventos que fizeram expostas na calçada para que todos pudessem ver, e se quisessem pudessem levar embora?
Quando não se toma os cuidados necessários com as postagens é exatamente isso que se faz, estamos expondo nossa vida a qualquer um, pois você não sabe quem está do outro lado e muitas vezes nem mesmo que a pessoa é quem diz ser.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

MAIS UM PM FERIDO NA UPP ALEMÃO


O Soldado RG 92.770 CALDAS da UPP do Alemão, em patrulhamento na área conhecida como AREAL, a sua guarnição a ser avistada por meliantes, foram alvejados por disparos, onde o mesmo foi ferido com tiro no braço e estilhaços no rosto. Após intenso tiroteio conseguiram resgatar sua equipe, o mesmo encontrasse bem, conforme relatam colegas do mesmo.
Com certeza, esse ataque foi uma RETALIAÇÃO da morte de um traficante ontem na mesma localidade.
Força amigo !!!

segunda-feira, 2 de junho de 2014

COMANDANTE DO BATALHÃO DE GRANDES EVENTOS DEIXA CARGO A POUCOS DIAS DA COPA

O  planejamento da Polícia Militar do Rio para a Copa sofreu sua primeira mudança. neste sábado, foi publicada no boletim interno da corporação a exoneração do tenente-coronel Wagner Villares de Oliveira do comando do Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos (BPGE), criado para agir em jogos da Copa. Nos bastidores, circula a informação de que o oficial pediu para deixar o cargo irritado com a falta de estrutura do batalhão — que ocupa instalações do Batalhão de Choque. Villares agora está na Diretoria Geral de Pessoal da PM, e quem está respondendo pelo batalhão é o ex-subcomandante, tenente-coronel Heitor Henrique Pereira.

O novo comandante do BPGE já foi investigado pela Corregedoria da PM num Inquérito Policial Militar (IPM) que apurou se armas do Batalhão de Choque foram levadas para uma festa rave em Itaboraí, em outubro de 2007. Durante a festa, Lucas Maiorano, de 17 anos, morreu com uma parada cardíaca decorrente do excesso de consumo de álcool.

Na ocasião, praças que estiveram na festa afirmaram, em depoimento, que Heitor estava na sala de acautelamento da festa e participava da segurança do evento. Heitor, na época major da PM, admitiu que estava no local e recebeu apenas uma advertência do comando pelo ocorrido.

Jornal EXTRA

sábado, 31 de maio de 2014

RESPOSTA DO 24º BPM A UM VEREADOR EM ITAGUAI, ONDE O MESMO AFIRMA QUE HÁ ARREGO ENTRE PMs NA CIDADE





O Vereador Haveria afirmado em sessão plenária, sem ter como provar, que haveriam Policiais " arregados " com o tráfico de drogas em Itaguaí.

PMs DE SÃO PAULO MARCAM PROTESTO PARA O DIA 04 DE JUNHO



Protesto será contra proposta de reajuste salarial de 0% apresentada às categorias, segundo informou Associação de Cabos de São Paulo

São Paulo - As 17 associações que representam soldados, cabos e oficiais da Polícia Militar do estado de São Paulo marcaram para o próximo dia 4, quarta-feira, uma manifestação na frente do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista localizada no Morumbi (zona sul da capital).